Como funciona o processo de aquisição, produção e precificação de livros estrangeiros?

Saiba mais sobre o processo editorial e alguns detalhes adicionais da edição brasileira de “O feitiço dos espinhos”.

 

 

Oi, gente! 

Antes de mais nada, queremos agradecer a todos que nos mandaram mensagens e comentários por causa da campanha de pré-venda de “O feitiço dos espinhos”. Lemos todas as mensagens e tiramos alguns dias para analisar a situação e encontrar a melhor maneira de conversar com vocês sobre isso. 

Quando o projeto editorial da Literalize ainda estava em desenvolvimento, sabíamos que iríamos trabalhar com literatura young adult em edições de alta qualidade. A popularização dos livros digitais e dos audiolivros foi um dos motivos que nos levaram a tomar essa decisão, já que, com o sucesso dessas novas plataformas entre os leitores mais jovens e modernos, uma edição física precisa se tornar ainda mais atrativa, pois a possibilidade de ler uma história na tela do celular tornou o ato da compra de um livro físico ainda mais consciente. Outro ponto levado em consideração foi o cenário político e socioeconômico do Brasil, que vem alterando drasticamente os hábitos de compra de todo o país. Sabemos que os brasileiros têm consumido menos — mas também acreditamos que eles têm consumido de maneira mais inteligente e têm dado preferência à produtos de qualidade, que oferecem uma experiência melhor e maior durabilidade. 

Com a chegada da pandemia, nós consideramos, sim, realizar alterações no nosso projeto para “O feitiço dos espinhos” (cuja produção já estava na metade do caminho lá em março), mas no final das contas a economia com custos editoriais (como enxugar um pouco na diagramação para reduzir o número de páginas, por exemplo) e gráficos (como fazer a capa brochura ao invés de capa dura) não teria tido um impacto tão significativo no preço de custo quanto tantos parecem pensar. Sabendo disso, nós nos perguntamos: será que as pessoas prefeririam pagar R$89,90 por uma edição especial ou R$79,90 por uma edição normal? A escolha pareceu muito simples, mas a reação de tantos de vocês nas redes sociais nos mostrou o quanto o processo de produção de um livro ainda é misterioso para quem está do outro lado. 

Antes de entrar em mais detalhes sobre o processo em si, queremos deixar claro que em momento nenhum tivemos a intenção de alienar os nossos clientes e leitores. Muito pelo contrário: esse foi um dos grandes motivos que nos levou a investir na construção de um site próprio, onde todos os nossos livros e produtos literários podem ser comprados em até 10x sem juros e com frete acessível para todo o Brasil. Não tínhamos como reduzir o preço de “O feitiço dos espinhos” sem comprometer a qualidade da edição, mas fizemos absolutamente tudo o que estava ao nosso alcance para facilitar o pagamento e ajudar o livro a chegar para mais pessoas.  

Escrevemos esse texto com o objetivo de ajudá-los a entender um pouco melhor como as coisas funcionaram do nosso lado. É possível que, ao final, alguns de vocês ainda não concordem com as decisões que tomamos, mas esperamos que, no mínimo, todos consigam enxergar que essas escolhas foram bem intencionadas e motivadas pelo imenso carinho que sentimos por esse título. 

Sem mais delongas, a segunda parte desse texto busca explicar um pouquinho sobre como funciona o processo de aquisição, produção e precificação de um livro estrangeiro. 

Compra de direitos 

Um livro escrito originalmente em outro idioma pode chegar a um editor de diversas maneiras: diretamente na nossa caixa de entrada, leitores pedem pelo livro nas redes sociais, o editor descobre o livro por acaso e vai atrás do autor e seus representantes. Independentemente de como o livro chega à editora, existe sempre uma negociação onde são acertados todos os detalhes do contrato que permite que o livro seja publicado no Brasil. Para que o contrato tenha validade, a editora precisa pagar ao autor um valor referente a um adiantamento de direitos autorais. Essa quantia é sempre paga em dólares e varia muito de livro para livro — títulos recém-lançados e/ou que chegaram à lista dos mais vendidos no New York Times, por exemplo, demandam adiantamentos maiores.  

Tradução 

Com o contrato assinado, a editora já pode partir para a etapa seguinte: a tradução! O valor varia, pois o custo é, geralmente, atrelado ao número de laudas* de um livro. Outros fatores, como o nível de experiência do tradutor e o prazo que esse profissional tem para entregar o trabalho, também podem ser levados em consideração na hora de calcular o valor do serviço. A tradução é, geralmente, a parte mais demorada e trabalhosa do processo editorial: um livro demora, em média, três meses para ser traduzido. 

* uma lauda literária equivale a 2100 caracteres com espaço.
Preparação 

A preparação (ou copidesque) é a primeira etapa de revisão do livro. É uma revisão bem profunda, que corrige erros de tradução, deixa o livro mais fluido e compara o texto traduzido ao texto original a fim de confirmar que o tradutor não pulou nenhum trecho sem querer. O custo da preparação de texto também é calculado a partir da quantidade de laudas do livro. 

Capa e projeto gráfico 

Aqui o custo pode variar bastante, pois depende tanto da visão que a editora tem para o projeto quanto do profissional contratado. No caso de livros estrangeiros, a editora tem sempre que avaliar a possibilidade de manter a capa e o projeto da edição original — e nesse caso a editora precisa não só comprar as imagens e ilustrações originais, mas contratar um profissional brasileiro para realizar a adaptação. No caso de “O feitiço dos espinhos”, não achamos que valia a pena encomendar uma capa nova, pois a ilustração da capa original já era extremamente marcante e o trabalho da Charlie Bowater relativamente conhecido entre os leitores. 

Diagramação 

Com o texto traduzido e preparado e o projeto gráfico decidido, é hora de diagramar! O diagramador é o responsável por, basicamente, deixar o livro com cara de livro. Ele coloca tudo no tamanho certo, aplica as fontes e os estilos, insere as ilustrações e coloca o arquivo todinho nas cores certas e com as marcas de corte para a gráfica. A diagramação, assim como todas as outras etapas até agora, tem um custo variável, que é atrelado ao número de páginas do livro. 

Revisão 

Depois da diagramação e antes da impressão, o livro precisa ser revisado. Essa etapa não é tão demorada quanto a tradução e a preparação, mas também é trabalhosa, pois o revisor precisa identificar não só os erros de português que sobraram da preparação, mas erros de diagramação (como palavras hifenizadas do jeito errado e problemas de espaçamento, por exemplo). A maioria dos livros precisam de, pelo menos, duas ou três etapas de revisão — feitas por revisores diferentes — para que o texto chegue à sua versão final. O valor pago a cada revisor também depende do tamanho do livro.  

Impressão e acabamentos 

Agora que todos os arquivos estão prontos e aprovados, o livro já pode ser impresso! Com ajuda dos profissionais que trabalharam na diagramação, na capa e no projeto gráfico, a editora escolhe o tipo de papel a ser usado no miolo, qual tipo de capa o livro terá e quais acabamentos usar… As possibilidades são infinitas! Papel branco ou amarelo de diferentes gramaturas, capa comum ou capa dura, laminação fosca, brilhante, soft touch, verniz localizado, hot stamping… Cada detalhe da impressão altera o custo do livro na gráfica e influencia diretamente na qualidade do produto final 

Outros gastos 

Royalties: o valor real depende do contrato negociado lá no começo do processo, mas o autor do livro fica com cerca de 10% do preço de capa de cada exemplar vendido. 

Contas da editora e folha de pagamento: além de todos os profissionais já citados acima, a editora também precisa de outros funcionários que não estão diretamente ligados à produção de um livro, mas são essenciais para o seu funcionamento: pessoas responsáveis pelo atendimento ao cliente, vendedores, pessoal do departamento financeiro, do marketing, da limpeza… Uma editora, assim como qualquer outra empresa, paga os seus funcionários com o dinheiro que ganha com a venda de seus produtos. Nessa conta entram ainda despesas básicas como contas de luz, água, internet e telefone do prédio onde fica a editora e outros gastos essenciais como, por exemplo, as licenças de todos os softwares (como os programas do Office e da Adobe) que a equipe usa durante o dia para trabalhar, o sistema de captura de pedidos no site e a própria plataforma onde o site fica hospedado. 

Ações de marketing e publicidade: o valor gasto varia de acordo com o livro e seu público-alvo, mas inclui posts patrocinados em redes sociais, anúncios no Google, ações e parcerias com influenciadores.  

Compra de outros títulos: uma parte do valor que a editora ganha com as vendas de um livro é sempre reinvestido e usado para comprar os direitos de outros livros! Quanto maior o sucesso de um livro, maior é a verba que a editora tem para usar na hora de planejar e adquirir livros para o seu catálogo. 

 

Por fim, queremos mais uma vez agradecer a todos que nos mandaram mensagens nos últimos dias e assegurá-los de que o feedback de vocês foi ouvido com todo o nosso respeito e atenção. Para todos aqueles que quiserem conversar ou entender melhor sobre a editora e o nosso funcionamento, estamos sempre à disposição por e-mail no [email protected] e nas nossas redes sociais. 

Se você leu até aqui e tem interesse em adquirir O FEITIÇO DOS ESPINHOS da autora Margaret Rogerson, com tradução de Sofia Soter, clique aqui. A nossa edição foi produzida em capa dura com laminação fosca e detalhes em verniz localizado, impressão nas guardas, e 528 páginas impressas em papel amarelado. Para compras realizadas até o dia 04/09 no nosso site, o livro acompanha um marcador, dois brindes exclusivos e frete grátis para todo o Brasil.  

Com amor, 

Equipe Literalize 

14 respostas

  1. Confesso que eu fiquei um pouco surpresa pelo valor do Feitiço dos Espinhos, eu esperava que fosse só um pouquinho mais barato, mas considerando a qualidade dele (e, claro, todos os procedimentos envolvidos no processo de trazê-lo para o Brasil), é um preço muito justo! Obrigada por trazerem esse livro lindo para o Brasil, e obrigada a cada pessoa envolvida no processo. Espero que o preço não prejudique as vendas de Feitiço dos Espinhos e nem o futuro da editora.

  2. Adorei a matéria. Eu tinha interesse sobre o processo e achei válido como feedback ao público. Uma empresa que conversa com os clientes, não para de crescer. 😁

  3. Olá,
    Que legal o texto de vocês. Sou estudante da pós de produção editorial e essas questões do dia a dia de uma editora são bastantes discutidas em aula. Muitas pessoas questionam o valor do livro, mas não conhecem os gastos para a produção. Parabéns pelo o texto e pela sinceridade na comunicação com o leitor. Obrigada!

  4. Vocês arrasaram muito nas informações. Deixou bem claro algo que todos já deveriam saber ou ao menos imaginar. O mundo precisa de mais empatia.
    A edição de vocês está incrível e espero consegui adquirir em breve. Parabéns pelo posicionamento, tem meu respeito e admiração. Sucesso sem fim para toda a equipe.

  5. Muito bem! Ótimo feedback. É muito legal a editora ter tido esse pensamento de elucidar o processo que levou ao preço do livro. Confesso q achei o preço caro, mas levando em conta tudo, é justificável. Desejo sucesso.

  6. Amei o texto, muito esclarecedor! Sei o quanto este projeto está sendo tratado com carinho e cuidado e tenho certeza de que vale cada centavo ♥️

  7. Parabéns pela resposta. Tenho certeza de que muita gente não dispõe de 90 reais no momento pra comprar um livro. Porém tem que entender que uma editora é uma empresa, um negócio. Para lançar um livro tem que ter lucro, se for uma trilogia mais ainda. Não é por nada que certas editoras abandonam séries após lançarem o primeiro ou o segundo livros. Tem muita gente que quer pagar 10, 15 reais num livro de 500, 600 e até 1000 páginas, aí fica inviável pra qualquer editora. Depois de ler a matéria e a sinopse, com certeza vou adquirir um. E espero que seja o primeiro de muitos que vocês trarão pra nós brasileiros, que estamos quase que desamparados em relação à fantasia.

    1. Bem interessante a matéria. Achei o preço salgado, para mim no momento, mas entendo que a a produção tem um alto custo. Gostaria de saber se vocês pretendem lançar a versão em ebook desse livro para os leitores terem opção de ler no kindle?

  8. Achei a iniciativa da matéria muito bacana, super legal trazer esses esclarecimentos para o publico. Eu particularmente não achei o preço um absurdo, apesar de ser um valor salgado, super condiz com a qualidade do material. Já comprei meu exemplar e estou ansiosa para o lançamento!
    Sobre o envio, haverá atrasos por causa da greve dos correios ou você vão utilizar uma transportadora?

    1. Oi, Julia! Obrigada pela mensagem.

      Nossos envios serão realizados pelos Correios sim. Por enquanto, a informação que temos é que as entregas estão sendo feitas com até 2 dias de atraso. Entretanto, estamos acompanhando a situação e acreditamos que as coisas já estejam sendo normalizadas quando começarmos a fazer os envios no dia 04. Se tiver mais alguma dúvida, fique à vontade para entrar em contato conosco por email no [email protected]

      Obrigada!

  9. Em primeiro lugar, parabéns.
    Estou muito empolgada com o lançamento, pois já ouvi vários comentários positivos sobre a história.
    Estranhei o preço, realmente , mas os esclarecimentos foram importantes para que eu decidisse pela compra.
    Sucesso e quem venham mais fantasias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *